• Avenida Tocantins - 1.122, Centro, Araguaína - TO
  • Aberto de Seg a Sex, 08:00 às 19:00

Cólica Renal: quando acontece?

Segundo os especialistas do Centro Urológico do Tocantins, os cálculos localizados no interior do rim (pelve renal) podem apresentar pouco ou nenhum sintoma. Muitos cálculos renais pequenos podem ser eliminados na urina sem causar sintomas. Existem casos em que os cálculos podem ser assintomáticos e crescerem até um tamanho considerável, sem que o paciente os note.

 

Sintomas

Na maioria dos casos, a descoberta de um cálculo renal ocorre com as famosas “cólicas renais”. Isso ocorre quando algum cálculo obstrui a via urinária, geralmente quando ele migra para o ureter, que é o canal que leva a urina do rim até a bexiga. Os sintomas de cólica renal geralmente são clássicos, como a dor na parte inferior das costas, no abdome lateral ou embaixo das costelas com irradiação para o testículo do mesmo lado nos homens ou para o grande lábio vaginal nas mulheres. Se há infecção urinária concomitante, pode ocorrer febre. É muito comum sentir uma súbita vontade de urinar ou ser obrigado urinar muitas vezes com pequenos volumes.

 

Diagnóstico
Quando o paciente está com esses sintomas deve procurar rapidamente um serviço médico de urgência ou entrar em contato com seu urologista. Para confirmar o diagnóstico de cólica renal, o médico fará um exame físico completo a fim de se descartar outras patologias.

Além disso, realizará exames complementares, como o exame de urina (que geralmente apresenta sangramento microscópico (hematúria microscópica), com sinais ou não de infecção urinária associada); exames de imagem, sendo os mais comuns a Tomografia (TC) de abdome e pelve sem contraste e/ou Ultrassonografia (USG) de rins e vias urinárias. Como o USG na maior parte das vezes não consegue identificar cálculos que estão no ureter, a TC é o exame de escolha.

 

Tratamento
Na ocorrência dos episódios de cólica renal, são utilizados analgésicos para alívio da dor. A partir do momento que os exames confirmarem o quadro de obstrução das vias urinárias por cálculo, o tratamento pode ser feito de diversas formas, a depender da intensidade e frequência da dor, presença de febre, alteração na função dos rins e característica dos cálculos, como o seu tamanho, localização e consistência.

Nos casos de melhora da dor, ausência de calafrios, febre e mal-estar E presença de cálculo ureteral menor de até 10mm, é possível realizar tratamento clínico com medicamentos que combatam a dor e facilitem a expulsão do cálculo.

Quando há febre, calafrios, dor que não melhora com tratamento medicamentoso, é indicada a realização de procedimento minimamente invasivo, através de endoscopia urinaria para retirada do cálculo e colocação de dreno interno chamado cateter duplo, realizada em centro cirúrgico sob anestesia.

A Ureterolitotripsia Transureteroscópica, que apesar do nome complicado consiste em colocar uma câmera através da uretra (canal urinário externo), no qual é visualizado, fragmentado e retirado os cálculos do ureter. O cateter duplo j, que é colocado ao final do procedimento, consiste em um fino tubo de silicone que facilita a passagem da urina represada nos rins, e que é retirado alguns dias após o primeiro procedimento.

Geralmente a alta hospitalar acontece entre 12 e 36 horas, a depender dos exames do paciente.

 

Se precisar, conte com CENTRO UROLÓGICO DO TOCANTINS!