• Avenida Tocantins - 1.122, Centro, Araguaína - TO
  • Aberto de Seg a Sex, 08:00 às 19:00

Cálculo Renal – 05 coisas que você precisa saber

O cálculo renal, mais comumente conhecido por pedras nos rins, é um problema que acomete homens e mulheres, causa fortes dores e em certos casos, exige ação rápida dos médicos. Isso porque essas pedras podem obstruir o canal urinário.

As pedras nos rins podem chegar a 11 centímetros, ocupando todo o espaço do rim, comprometendo assim o funcionamento do órgão. Desta forma, principalmente pessoas com predisposição a formação de cálculos renais devem seguir as orientações de prevenção e consultar anualmente um urologista de confiança.

01 – Homens sofrem mais de pedras nos rins
Durante muito tempo a diferença entre homens e mulheres na prevalência era muito grande com 3 homens acometidos para cada mulher. Hoje em dia, muitos trabalhos têm demonstrado que essa diferença está sendo reduzida e mais mulheres estão apresentando cálculos urinários, com uma proporção de 2 homens para 1 mulher. De forma resumida, hoje os homens ainda são os que mais sofrem com os cálculos renais, porém com o tempo essa diferença é cada vez menos.
A faixa etária mais acometida são pessoas entre 25 e 35 anos.

02 – Cirurgia bariátrica aumenta o risco
Pessoas submetidas a uma cirurgia bariátrica têm risco aumentado para cálculo renal: o risco é de quase 2 vezes maior que pacientes que não realizaram o procedimento. Esse maior risco está associado ao metabolismo de substâncias que sabidamente aumentam a chance de formar cálculos como o cálcio e o oxalato.

03- Beba mais água
Cerca de 50% das pessoas com histórico de cálculo renal urinam menos de 2 litros por dia. Por isso é fundamental manter uma ingesta de água que possibilite um volume de diurese elevado pelo menos 2 litros ao dia.

04 – Consumo adequado de cálcio previne pedras nos rins
Quem mantém uma dieta rica em cálcio evita a formação de cálculos. A ingestão de pouco cálcio na dieta pode aumentar os níveis de oxalato e causar pedras nos rins. Para evitar isso, certifique-se de ingerir uma quantidade de cálcio adequada à sua idade. Idealmente, obtenha cálcio dos alimentos, pois alguns estudos associam o uso de suplementos de cálcio a pedras nos rins. Garanta o consumo de leite, iogurte e até mesmo frutas, como manga, amora e uvas, que possuem uma boa concentração de cálcio. Vegetais de cor verde escura, como espinafre e brócolis também são boas fontes de cálcio.

05 – Ajuda médica é sempre a melhor opção
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 10% a 15% da população mundial terá ao menos um episódio de cólica nefrética. O sintoma, causado pela migração do cálculo, consiste em uma forte dor, que começa na região lombar e vai migrando em direção à raiz da coxa.

Se sentir dores, busque um médico, pois há casos em que é preciso, além da medicação mais que medicação para garantir a eliminação dos cálculos. Estima-se que 30% dos pacientes precisarão de cuidados médicos, sendo que 15% necessitarão de procedimentos cirúrgicos ou endoscópicos para eliminar as pedras. Se a doença não for tratada corretamente, é provável que ela possa reaparecer.

Em casos mais graves a migração do cálculo pode gerar problemas como a insuficiência renal.

Mantenha hábitos saudáveis, como a ingestão de líquidos e consumo de frutas e verduras, além de se consultar frequentemente com um urologista.

Se precisar, conte com CENTRO UROLÓGICO DO TOCANTINS!